Turismo

Pontos turísticos

 

 

 

Monte Aghá

Maciço rochoso de 300 metros de altura, a 100 metros da areia da Praia do Martinho. Apesar de compor o cenário de fundo da Praia de Piúma o mesmo pertence à extensão territorial do município de Itapemirim. Na língua dos Tupiniquins, Monte Aghá quer dizer “Monte de ver Deus”. Ideal para escaladas, trekking e voos de asa delta, desde que acompanhados de equipamentos e profissionais treinados. Para quem o vê a partir de Itapemirim, sua figura lembra a de um elefante deitado e, segundo os esotéricos, o fato representa riqueza para Itapemirim.

 

 

 

 

 

 

Ilha dos Franceses

 

Região de alta viscosidade, ótima para pesca e mergulhos. Paraíso natural, a ilha destaca-se por sua beleza. Com águas cristalinas, a mesma é ideal para a prática de mergulho. Pode-se encontrar também diversas espécies de aves raras que habitam o local. Durante a alta temporada há passeios de escuna que partem de Itaoca e Itaipava.

 

 

 

 

 

Lagoa Guannandy

 

A Lagoa Guannandy, ou Lagoa das Sete Pontas, por sua composição florística na formação arbustiva de restinga localizada na localidade de Gomes, serve de base para estudos biológicos. A Área de Proteção Ambiental (APA), é hoje um reservatório natural e serve de abastecimento para o distrito de Itaoca/Itaipava. Guannady é uma planta nativa abundante em determinado trecho próximo ao mar. Dela tribos como a dos botocudos, dos puris (guaranis) extraíam um suco de cor vermelha.

 

 

 

 

 

 

Praia de Itaipava

Itaipava quer dizer “pedra rasteira”. Atualmente conta com um Terminal Pesqueiro (em construção) que é a maior concentração de barcos no Espírito Santo, bem como, é o maior núcleo habitacional de Itapemirim. Possui pousadas, restaurantes, camping e barraquinhas. A orla é urbanizada e bem iluminada. A colônia de pesca é a mais ativa da região. Na região, é comum encontrar espécies de peixes como o atum, o namorado, o cherne e o pargo. De lá se avista a Ilha dos Franceses.

Itaipava é uma antiga vila de pescadores, hoje agitada com muitas construções e milhares de turistas na alta temporada. Mas o entreposto de pescado ainda é a principal atividade do balneário, e em um dos cantos da praia, é possível ver dezenas de pequenas barcos ancorados. Uma cena bucólica, que muitos gostam de fotografar.

 

 

 

Praia de Itaoca

Itaoca, o mesmo que “Casa na Pedra”, é uma praia de pesca e fica em frente à Ilha dos Franceses. O trecho norte é quase deserto, com vila de pescadores e pedras nas extremidades. Ao sul, a praia tem quase oito quilômetros de areia até próximo à foz do rio Itapemirim.

É uma praia ligada à de Itaipava, apenas separada por uma pedra. De águas cristalinas, e grande faixa de areia branca, Itaoca tem dezenas de quiosques à beira-mar, para quem quer relaxar e saborar pratos com frutos do mar. Há campings, pousadas e muitas casas e apartamentos para aluguel de temporada. A orla é toda urbanizada, possui iluminação e saneamento, desta forma oferece ao turista a infraestrutura necessária para que todos possam aproveitar os momentos de lazer.

 

 

 

 

Praia Gamboa

 

Praia deserta, porém perto do centro de Itaipava. No verão, o local fica agitado por shows e eventos. Quiosques e barracas servem os turistas na alta temporada. O termo “gamboa” significa: local, no leito dos rios, onde se remansam as águas, dando a impressão de lago sereno.

 

 

 

 

 

 

Igreja Nossa Senhora do Amparo

 

São 245 anos de existência (2014). Inaugurada oficialmente em 15 de setembro de 1855 pelos capuchinhos, o templo é o principal marco histórico do município. A arquitetura da mais que centenária igreja não tem estilo definido, apesar de demonstrar tons romanos e portugueses. Sua fachada nos remete ao passado e em seu interior é possível encontrar imagens que resistem a ação do tempo, ultrapassando 300 anos. Os sinos que anunciam o início da Celebração Eucarística estão suspensos na cúpula de uma das torres e a Capela do Santíssimo está localizada logo na entrada do santuário.

 

 

 

 

 

O Frade e a Freira

 

O Frade e a Freira são duas montanhas rochosas de granito localizadas em Itapemirim, cujos municípios limítrofes são: Cachoeiro de Itapemirim, Rio Novo do Sul e Vargem Alta. Do seu formato, que lembra a imagem de um frade e uma freira, surgiram lendas diversas. Diz uma delas que um frade e uma freira se apaixonaram, e como suas vidas deveriam ser dedicadas a servir a Deus, não puderam se render ao amor humano. Como forma de permanecerem unidos, os dois foram transformados em montanha, e ficam se admirando eternamente esculpidos em granito. À 'batina' do Frade há uma pousada com vários chalés. O clima é ameno, com vasto verde e vista panorâmica de onde se vê as praias de Marataízes, Itapemirim e Piúma.